Articles

Museu do Casal de Monte Redondo

O Museu do Casal de Monte Redondo tem, praticamente desde a sua fundação em 1981, a Associação de Defesa do Património Cultural de Monte Redondo como suporte jurídico.

É uma associação registada em Cartório Notarial, com estatutos publicados no Diário da República e corpos gerentes de harmonia com os referidos estatutos.

Só que a sua existência é virtual, já que não tem sócios.

Com a presente iniciativa pretende-se alterar aquele “status quo”, permitindo a existência de sócios e a consequente eleição de novos corpos gerentes, que permitam alargar o âmbito da Associação e as actividades para as quais se encontra vocacionada.

Assim, convidamos todos os que se interessam pelo nosso património a aderir à Associação de Defesa do Património Cultural de Monte Redondo, enviando o destacável abaixo para o endereço do Museu.

A Assembleia Geral (re)constituinte terá lugar, no Museu, pelas 15 horas do dia 25 de março de 2012, incluída no programa das XX Jornadas sobre a Função Social do Museu, que se realizam em Monte Redondo nos dias 23, 24 e 25 daquele mês (obviamente será objecto de convocatória)

Quaisquer esclarecimentos poderão ser dados pelos móveis 938112645 (João Moital) ou 965429884 (Jorge Arroteia).

 

 

-----cortar por aqui------ cortar por aqui-----------cortar por aqui------ cortar por aqui------ cortar por aqui-----------cortar por aqui------ cortar por aqui---

FICHA DE INSCRIÇÃO DE SÓCIO
Associação de Defesa do Património Cultural de Monte Redondo

(Museu do Casal de Monte Redondo)

Rua da Bajouca, 17

2425-617 MONTE REDONDO LRA

nome____________________________________________________________
 

data de nascimento: ____/____/________

morada: _________________________________________________________

              _________________________________ CP ________-_____

telefone(s): ______________________________________________

e-mail: __________________________________________________

QUOTA

Anual:€ 5,00

Quinquenal (5 anos): € 20,00

(assinalar com um X a modalidade pretendida)


_________________________________________________ 

(assinatura)

Escolher uma profissão

ONDE IR BUSCAR INFORMAÇÕES

Direcção-Geral do Ensino Superior
 

 http://www.dges.mctes.pt/DGES/pt

 Informa-te sobre os cursos existentes, consultando as listas por estabelecimento, curso, área e distrito.

http://www.acessoensinosuperior.pt/indmain.asp

Encontra o teu curso pesquisando por diferentes critérios.

http://www.acessoensinosuperior.pt/assist.asp

O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP),

 

O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), criado em 1979 (Decreto-Lei nº 519-A2/79, de 29 de Dezembro), é um organismo público, sob a tutela do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, ao qual compete a execução das políticas de emprego e formação profissional, definidas e aprovadas pelo governo.

ESCOLHER BEM: OPINIÕES

Dossier da Revista Veja

http://veja.abril.com.br/especiais/jovens_2003/p_064.html

Escolhendo uma profissão 

Stephen Kanitz

Artigo Publicado na Revista Veja, Editora Abril, edição 1781, ano 35, nº 49, 11 de dezembro de 2002, página 20.

Todo jovem tem de tomar pelo menos duas grandes importantes decisões na vida. A escolha da profissão e a do cônjuge. A maioria estuda e namora o futuro cônjuge nos mínimos detalhes, mas escolhe e descarta dezenas de profissões com uma única frase. Muitos passarão mais tempo no emprego do que com o marido, a esposa e a família. Quando chegarem em casa, todos já estarão dormindo.

Como melhorar a escolha da profissão com a mesma dedicação com que se escolhe um cônjuge?

1. Namore também sua profissão. Se seus pais possuem um conhecido que exerça uma profissão, peça permissão para acompanhá-lo por algumas semanas para sentir como é seu dia-a-dia. Mesmo que tenha de ficar nos corredores, você verá o ambiente, sentirá um pouco a rotina diária. Assista a uma semana de aulas em sua futura faculdade. Comece a explorar as variantes da profissão, descubra as linhas de pensamento, os estilos. Quem são as "feras" dessa área e como são os estilos de vida. Combinam com o seu?

2. Não se apresse. Se você estiver na dúvida quanto à escolha da profissão, tire um ano mochilando pelo mundo afora. É preferível "perder" um ano a perder toda uma vida profissional. A escolha da profissão precisa ser cuidadosa, porque hoje em dia é mais fácil trocar de cônjuge que de profissão. Aos 32 anos você não terá mais disposição para prestar um novo vestibular. Essa pressão da sociedade e dos pais para uma escolha imediata vem do tempo em que a expectativa de vida de um adulto era de somente quarenta anos. Hoje a expectativa média de vida é de 82 anos. Um ano ou dois não farão a mínima diferença.

3. O não por exclusão. Nossa tendência é sempre achar algum defeito numa idéia nova. "Engenheiros sujam as mãos", "contabilidade é para tímidos", "advocacia é para quem fala bem", "finanças e economia são para especuladores". Toda profissão tem seus defeitos. Se você andou escolhendo algumas profissões por exclusão, volte atrás e pense de novo.

4. Explore o cinza. Justamente porque o estereótipo do advogado é aquele que fala bem, existe enorme falta de advogados que sejam bons em matemática. Por isso, advogados tributaristas, os que mexem com números, são muito bem pagos no Brasil.

5. Não confunda interesse com proposta de vida. Todos nós deveríamos ter interesse em história e filosofia. Espero que nos fins de semana vocês leiam esses temas, e não mais um livro técnico. Todo mundo deveria estudar um pouco de economia, psicologia e direito, mas nem todos irão querer estudar essas matérias a vida inteira. O simples interesse não é suficiente para fazer de você um profissional dedicado e totalmente comprometido para o resto da vida. Uma fã do pianista Arthur Moreira Lima disse que daria a vida para tocar como ele. "Pois eu dei a minha vida", respondeu Moreira Lima. Se você está disposto a dar sua vida por história ou filosofia, aí não é um mero interesse, é sem dúvida uma vocação. Portanto, vá em frente. Se você escolher uma profissão no par-ou-ímpar, lembre-se de que poderá estar tirando a vaga de alguém que tem vocação, a vaga de um futuro Moreira Lima.

Faça um favor à sociedade e àqueles que adorariam estar em seu lugar: não tome a vaga de quem realmente precisa. A sociedade, os excluídos e seus futuros professores agradecerão efusivamente. Portanto, vá com calma. Estude a vida inteira e escolha sua profissão de uma forma profissional. Boa sorte e meus votos de sucesso.

Stephen Kanitz (www.kanitz.com.br)

Artigo Publicado na Revista Veja, Editora Abril, edição 1781, ano 35, nº 49, 11 de dezembro de 2002, página 20.

 COMO ESCOLHER UMA PROFISSÃO?

por Rogerio Martins*

http://carreiras.empregos.com.br/comunidades/campus/artigos/070703-escolha_profissao_rogerio.shtm

Meu pai queria que eu fosse engenheiro. Minha mãe escolheu advocacia. Minha avó sonhava com Medicina. Escolhi Psicologia e durante o curso quase mudei para Publicidade e Propaganda. Esta história é real e acontece com a maioria dos jovens e até mesmo os adultos já estabilizados profissionalmente. A pergunta é: que profissão escolher? Afinal, ela o acompanhará para o resto da vida!

Até alguns anos atrás era relativamente mais fácil, pois o leque de possibilidades era bem menor; em contrapartida, estas poucas profissões poderiam não ser aquelas que fariam a felicidade de muitas pessoas. O mercado de trabalho atualmente é bastante profícuo no oferecimento de novas atividades, profissões e oportunidades. Isto tem duas leituras possíveis: quanto maior a amplitude, mais chance de se descobrir a “verdadeira vocação”.

Porém, paradoxalmente isto torna mais difícil escolher aquilo que tem a ver com sua personalidade, pois são tantas possibilidades que nem sempre aquela que tem mais a ver é a melhor remunerada ou que trará o status desejado.

Portanto, a escolha profissional não passa apenas por procurar aquilo que gosta, mas de um conjunto de fatores que um bom aconselhamento profissional e de carreira pode orientar na decisão. Veja alguns pontos que deve considerar na hora de definir ou incrementar sua carreira:

Visão de futuro

O primeiro passo é analisar o cenário econômico e as tendências de mercado, saber diferenciar as armadilhas das oportunidades. Há profissões que se sobressaem nos momentos de crise e há outras que se mantém estáveis em qualquer tempo com pequenas alterações, como a Engenharia. O mercado também vem trazendo novas perspectivas para antigas profissões em função da biotecnologia, do forte senso ambientalista, da globalização da economia e dos pactos regionais, da modernização da agropecuária, da expansão da informática e das novas relações de trabalho.

Escolher uma carreira somente por causa da remuneração é um tiro no pé! O mercado é bastante dinâmico e nos mostra que antigas profissões tidas como sucesso absoluto dez anos atrás hoje não gozam do mesmo prestígio e salário. Entretanto, profissões ligadas a comércio exterior, educação, saúde, diversão e turismo estão em fase de crescimento e podem se manter assim por muito tempo. Assim, uma pessoa que é formada em advocacia pode especializar-se em legislação internacional e mudar o rumo tradicional desta carreira. Isto pode ser aplicado em todas as profissões e já vem acontecendo com aqueles que perceberam esta significativa alteração no mundo dos negócios.

Além disso, o profissional moderno deve possuir um firme propósito empreendedor, mesmo que atue como empregado de uma pequena ou grande empresa. Este é um dos principais pré-requisitos para esta nova economia e fator decisivo para o sucesso profissional: empreendedorismo aliado a senso de oportunidade.

Autoconhecimento

Torna-se fundamental ter um forte conhecimento e percepção de si mesmo, suas competências e potencialidades. Para isto o acompanhamento profissional é imprescindível. Através de uma análise profunda, o psicólogo tem condições de avaliar os aspectos de personalidade mais favoráveis para determinadas atividades e traçar junto com a pessoa um plano de desenvolvimento daqueles menos favoráveis. Muitas falhas na escolha da carreira ocorrem porque se quer fazer algo que não possui habilidade ou vocação compatível e, com isso, perde-se um precioso tempo tentando ser o que não tem a ver com a pessoa.

Além disto é importante saber utilizar os conhecimentos e experiências adquiridas ao longo da vida a seu favor. Isto é o gerenciamento do know-how obtido. Cursos de formação e especialização, viagens, estágios, conhecimento de idiomas, tudo isso conta como bagagem pessoal que pode auxiliar na escolha ou mudança de uma profissão.

Com tudo isto na mão, a pessoa é capaz de fazer ajustes na escolha profissional e diminuir significativamente a possibilidade de decepção com a profissão eleita.

Definição de objetivos pessoais e profissionais

Este é um dos principais itens na hora de escolher uma carreira, uma profissão. De posse de seu perfil pessoal e da análise do mercado, este é o momento onde fará o cruzamento destas informações através de um plano de ações.

Algumas profissões exigem dedicação integral, outras requerem constantes tomadas de decisão, há também aquelas onde o relacionamento com outras pessoas é fator chave, e assim por diante. Qual destes perfis melhor se adapta às suas expectativas?

Para isto é necessário o entendimento e desenvolvimento do papel profissional e dos demais papéis da própria vida. Há pessoas que escolhem suas carreiras em função dos pais, parentes ou amigos e não compreendem muito bem a importância da escolha correta. Esta escolha pode influenciar toda sua vida e os demais papéis que desempenha no transcorrer dela (pai/mãe, chefe/subordinado, estudante/autônomo, sócio/proprietário, marido/esposa, amigo(a), etc.).

Gerenciar esta escolha é levar em consideração um planejamento dos objetivos pessoais e profissionais. Elabore este plano para os próximos dois, cinco, dez, quinze e vinte anos. Defina claramente os passos e as ações que tomará para atingir seu objetivo – seja uma viagem, um curso, um estágio, a compra de um bem material ou conhecer alguém influente na sua área. Entenda que este plano é flexível e poderá ser alterado a qualquer momento, mas tome-o como uma referência para guiá-lo rumo ao sucesso profissional e pessoal.

Fatores técnicos relevantes

Para concluir descrevo alguns itens técnicos que pode auxiliar na conquista de um emprego ou consolidação de uma carreira.

O primeiro é saber elaborar um currículo e uma carta de apresentação. Este é um dos pontos de maior dificuldade da maioria das pessoas: como expressar sua vida, experiências e objetivos através do currículo? Há regras e formas para se fazer um currículo correto e novamente um profissional especializado neste assunto é que poderá auxiliar; pois como o nome diz esta é uma carta de apresentação pessoal, única.

Para participar de entrevistas e processos seletivos é essencial estar bem preparado fisicamente, emocionalmente e mentalmente. Lembro-me que quando participei de uma entrevista para atuar como professor universitário em uma faculdade de São Paulo quase perdi a vaga em uma fração de segundo. Na época o coordenador perguntou sobre a minha disponibilidade de horários e comentei que tinha um compromisso todas as terças e quartas-feiras. Ele respondeu que era exatamente os dias que estavam em aberto para lecionar naquela instituição. Por um instante pensei: “perdi a vaga!” Ele já se levantava para concluir ao que me virei e disse: “está bem, eu consigo alterar o outro compromisso e fico com a vaga”. Naquele momento foi importante definir o que era prioritário. Para isto o fator emocional da frustração de perder a vaga foi contornado por um firme propósito de conquistar aquela oportunidade.

Por fim, depois que cumpriu todas as etapas anteriores é hora de praticar seu networking, ou seja, usar sua rede de relacionamentos. Converse com amigos, professores, parentes e profissionais sobre as escolham que eles fizeram e suas intenções. Colha informações, mas também informe o que pretende. Assim eles poderão atuar como seu aliado na orientação e busca por uma profissão. Sucesso!

* Rogerio Martins é Psicólogo, Professor Universitário, Consultor e Palestrante sobre comportamento e motivação humana e Diretor da Persona Consultoria & Eventos.

DIÁLOGOS SOBRE PROFISSÃO

Krishnamurti

PERGUNTA Que profissão me aconselharíeis adotar?

KRISHINAMURTI: Toda pergunta está relacionada com alguma outra. Todo pensamento está relacionado com outro, não é independente. A profissão, o caminho, a educação, o autoconhecimento, estão todos intimamente relacionados entre si. Não podeis simplesmente escolher uma profissão e dedicar-vos ao autoconhecimento, ou escolher uma profissão para serdes um educador. Todas essas coisas estão relacionadas entre si. Todas as nossas ações e sentimentos estão relacionados entre si, e nisso é que consiste a sua beleza. Com um só pensamento podeis descer às profundezas do pensar.

Perguntais-me qual a profissão que vos aconselho abraçar. Se desejais uma resposta adequada, é mister entrarmos no assunto a fundo. Que está acontecendo neste mundo? Há possibilidade de se escolher profissão? Cada um segura aquilo que pode. Já nos consideramos felizes se achamos trabalho. Assim é em todas as partes do mundo. Porque já perdemos todos os valores genuínos, temos um único alvo: ganhar dinheiro seja como for, para viver. E, visto que esse é o valor predominante no mundo inteiro, não há possibilidade de escolha. Se sois bacharel em artes, bacharel em ciências, ou mestre de artes, vós vos tornais funcionário de escritório. A estrutura da sociedade está constituída de tal maneira, que só conduz à destruição. A sociedade está aparelhada para a destruição. Cada ação que praticais está conduzindo à guerra.
Não sei se estais bem cônscios disso, mas no meio desta tormenta, sob a ameaça da fome, podereis escolher a profissão de advogado, de soldado, ou de policial? Quando sentis realmente, que a humanidade está à beira da catástrofe podeis escolher qualquer uma dessas três profissões? Tornando-vos soldado, resolvereis o problema do mundo? A função do soldado é destruir, e, portanto, o que fará é destruir. Ele é adestrado para destruir, tal como o policial, que tem a função de vigiar, informar, espionar e intrigar; e bem sabeis o que significa ser advogado — um homem de muita sagacidade e poucos princípios. Todos os que sois advogados bem sabeis o que tem custado ao mundo a vossa sagacidade, e, todavia continuam a “fabricar-se” advogados aos milhares. Em que consiste essa profissão? Em dividir e sustentar a divisão, porque é disso que vivem. Não vivem de relações humanas, nem vivem da benevolência e do amor, mas, sim, da astúcia, da estupidez e intriga. Podeis ligar-vos a um homem que se enriquece, no meio do presente caos econômico? Podeis saber o que significa padecer fome?

Vedes, pois, como são limitadas as profissões. Senhores, antes de perguntardes o que vos cabe fazer, precisais aprender a pensar corretamente, e não de maneira negligente. O pensar correto gera a ação correta. Não podeis pensar corretamente, sem o autoconhecimento. Estais dispostos a aplicar o tempo necessário para conhecer a vós mesmos, a fim de aprenderdes a pensar corretamente e achardes a profissão adequada? Vós, os que não sois forçados a escolher imediatamente uma profissão, por certo podeis fazer alguma coisa. Cabe-vos essa responsabilidade, a vós, que tendes lazeres, que tendes tempo para aprender e observar. Mas, os que podem, não querem. É extremamente difícil escolher uma profissão num mundo civilizado desta espécie, em que toda ação conduz à destruição e à exploração. Os muitos que não são forçados a escolher profissão, são os que podem, mas esse não querem, e aí é que está a tragédia. Com a casa já a arder, continuam agarrados a umas poucas coisas. A tragédia não é, pois, daqueles que tem de escolher emprego, porque esses escolherão, quer queiram, quer não; a tragédia é dos que ficam sentados, a observar.

Só pelo pensar correto pode haver ação correta. O pensar correto não se adquire nos livros, ou nas lembranças do passado, ou nas esperanças do futuro.

Krishnamurti - 16 de Novembro de 1947 - Do livro: Uma Nova Maneira de Viver.